10

nov

Quando a segurança é satisfatória?

FullSizeRender (9)
Não existe segurança perfeita, total ou absoluta. O que existe é a segurança satisfatória.
A segurança é satisfatória quando:
– É capaz de retardar ao máximo uma possibilidade de agressão;
– É capaz de desencadear forças – no menor espaço de tempo possível – capazes de neutralizar a agressão verificada.

postado por:

Compartilhar

twitter email

04

nov

Armas e Vigilantes.

25

set

Encontro Regional das Empresas de Segurança no ABC.

A capital da Segurança Privada de São Paulo foi Santo André durante toda a quarta-feira (23). Na cidade do ABC paulista o SESVESP realizou o seu Segundo Encontro Regional das Empresas de Segurança Privada (ERESP), com várias e produtivas atividades do setor.
Logo pela manhã os participantes puderam conferir ouvir e debater o cenário político-econômico brasileiro com a jornalista da Globo News e de O Globo, Cristiana Lobo. A repórter pode explicar a conjuntura de Brasília à luz dos acontecimentos que envolvem o Governo, Legislativo e Judiciário e toda a possibilidade de desdobramentos que o ritmo das notícias podem impactar na Economia e nos negócios do setor da Segurança Privada.
A participação de todo o empresariado, com o nível de discussão e perguntas pertinentes tornaram os trabalhos da manhã mais que produtivos, segundo a opinião de todos. Além disso, Cristiana pôde dar um panorama para o futuro do país com base nos acontecimentos atuais.
Após o almoço, onde cabe um parênteses, servido com muito esmero pelo pessoal do Baby Beef de Santo André, os trabalhos continuaram com a palestra “Mente de campeão: o segredo da alta performance”, feita pelo médico psiquiatra e orador, Roberto Shinyashiki.
O ERESP tornou-se uma realidade e já é o segundo maior evento do setor de Segurança Privada de São Paulo, atrás somente do FESP, isso levando em conta o nível das palestras, a oportunidade de discussão empresarial, e congraçamento de todo os que militam na área e o número de empresas e executivos participantes. A segunda edição do ERESP consolida um fórum permanente de discussão e preocupação com os caminhos das empresas regularmente constituídas além de fortalecer o segmento que ainda discute questões de manutenção do negócio como o Estatuto da Segurança Privada e todas as implicações. (fonte; site SESVESP)
07

postado por:

Compartilhar

twitter email

04

set

02

jul

Campanha contra a Clandestinidade na Segurança Privada.

cland

A Polícia Federal, a FBCP – Fundação Brasileira de Ciências Policiais e a FENAVIST -Federação Nacional das Empresas de Segurança e Transporte de Valores, com o objetivo de alertar a população sobre os perigos da contratação de empresas de segurança privada que não possuem autorização de funcionamento, lançaram a Campanha Nacional de Prevenção e Combate à Segurança Clandestina.

No link abaixo uma cartilha : Como Contratar Segurança Privada Legal e Qualificada”
1013.15 Anexo 2

Fonte: Sesvesp

postado por:

Compartilhar

twitter email

02

jul

26

jun

Homenagem do Dia do Vigilante na câmara municipal de Santo André

09

jun

Assunto do momento: TERCEIRIZAÇÃO.

Mascote3-1

TERCEIRIZAÇÃO

Curiosidade histórica

O rei Salomão, ele foi o responsável pela construção/edificação do novo templo, ele utilizou todos os recursos disponíveis para a edificação do templo entretanto havia entre os seus trabalhadores um especialista que trabalhava em bronze, desta forma surge a primeira experiência com a terceirização da história. Salomão terceiriza o serviço com um especialista de bronze trazido de Tiro, um homem da Tribo de Naftali, este homem era cheio de sabedoria, de conhecimento e de ciência para fazer toda a sorte de obras de bronze, ou seja, este homem tinha o know how necessário para a execução do serviço, assim o Rei Salomão pode se ocupar com suas outras necessidades (para melhor clareza pesquisar na Bíblia em I Reis 7:13).

postado por:

Compartilhar

twitter email

18

maio

14

maio

FATORES DO PROCESSO DE Gestão de segurança

você sabia

O objetivo da segurança é resguardar a integridade das pessoas, das informações, dos ativos físicos e financeiros e da imagem da empresa. Consideremos os seguintes fatores do processo de gestão de segurança:

Valores
Os valores são os “objetos” da proteção. Representam tudo o que deve ser protegido para assegurar a continuidade dos negócios e contribuir para o resultado financeiro da empresa.

Pessoas: este primeiro grupo de valores é composto diretamente pelos funcionários da organização, contratados diversos, clientes e usuários. Indiretamente devem ser incluídos os familiares dos funcionários, que podem ser vítimas de ocorrências relacionadas com a atividade dos funcionários, a exemplo da extorsão mediante sequestro.

Ativos físicos e financeiros: podem ser citados o numerário (moeda nacional em espécie) e outros valores (moeda estrangeira, equipamentos, instalações físicas.

Imagem: qualquer tipo de vinculação do nome da instituição e/ou deseus funcionários com fatos ou notícias de caráter negativo pode provocar sérios danos à sua imagem – um ativo intangível – e, por isso, necessita de mecanismos eficientes de proteção.

Informações: as informações merecem alto nível de proteção, pois sua perda pode gerar prejuízos incalculáveis às organizações. Podem ser citados alguns exemplos de informações cujo vazamento pode gerar, direta ou indiretamente, transtornos às organizações: dados pessoais de funcionários e clientes, informações sigilosas sobre clientes, assuntos estratégicos (projetos, negócios, valores, plano de segurança etc.), rotinas de serviços e funções específicas de funcionários. Deve ficar claro que criminosos procuram conhecer as informações e rotinas das unidades para subsidiar as ações contra a empresa.

Mascote3-1

postado por:

Compartilhar

twitter email
Página 4 de 22« Primeira...23456...1020...Última »