03

maio

O Sucesso consiste em não fazer Inimigos

 Recebi esse texto de um amigo empresário e gostaria de compartilhar , vale a reflexão por conta dos encontros e desencontros nas relações comerciais e de trabalho.

A conclusão  é que guardamos com muita facilidade o que nos incomodou e desprezamos as boas coisas com a mesma facilidade.

Tem uma frase que gosto muito: “Perdoe seus inimigos, mas nunca os perca de vista”, me parece se aplicaria a Lei da Perversidade Profissional , citada ao final do texto.

 

O Sucesso consiste em não fazer Inimigos 

Max Gehringer

Nas relações humanas no trabalho, existem apenas 3 regras: 

Regra número 1:
 

Colegas passam, mas inimigos são para sempre. A chance de uma pessoa se lembrar de um favor que você fez a ela vai diminuindo à taxa de 20% ao ano. Cinco anos depois, o favor será esquecido. Não adianta mais cobrar.
Mas a chance de alguém se lembrar de uma desfeita se mantém estável, não importa quanto tempo passe.
 Exemplo: Se você estendeu a mão para cumprimentar alguém em 1999 e a pessoa ignorou sua mão estendida, você ainda se lembra disso em 2009.

Regra número 2:
 

A importância de um favor diminui com o tempo, enquanto a importância de uma desfeita aumenta. Favor é como um investimento de curto prazo. Desfeita é como um empréstimo de longo prazo. Um dia, ele será cobrado, e com juros.

Regra número 3:
 

Um colega não é um amigo. Colega é aquela pessoa que, durante algum tempo, parece um amigo. Muitas vezes, até parece o melhor amigo. Mas isso só dura até um dos dois mudar de emprego. Amigo é aquela pessoa que liga para perguntar se você está precisando de alguma coisa.
 Ex-colega que parecia amigo é aquela pessoa que você liga para pedir alguma coisa, e ela manda dizer que no momento não pode atender.

Durante sua carreira, uma pessoa normal terá a impressão de que fez um milhão de amigos e apenas meia dúzia de inimigos. Estatisticamente, isso parece ótimo. Mas não é! 
 
A ‘Lei da Perversidade Profissional’ diz que, no futuro, quando você precisar de ajuda, é provável que quem mais possa ajudá-lo é exatamente um daqueles poucos inimigos.

postado por:

Compartilhar

twitter email

02

maio

Troca de Livros

Compartilho uma dica que pode ser do seu interesse, existe um serviço via Internet que permite trocar livros gratuitamente, para cada livro fornecido você ganha pontuação para receber outro. O usuário cadastrado cria um lista com os livros que possui e as obras que deseja obter. O único custo será de frete para o envio, cerca de R$4,00 dependendo da modalidade, para mais informações segue endereço: http://www.livralivro.com.br . Há livros de todas as categorias e assuntos, o acervo do site cresce conforme as pessoas publicam seus interesses e fornecem.

Existe uma outra iniciativa para quem deseja disponibilizar livros (gratuitamente) para outras pessoas, o site é: http://www.livrolivre.art.br  . Neste você simplesmente identifica a obra, registra no site, então, deixa o livro em local público para que alguém o encontre.

Acredito que são boas iniciativas para incentivo e acesso à leitura e, consequentemente, conhecimento e desenvolvimento das pessoas. Ainda não os utilizei, mas acho que são interessantes para divulgação.

postado por:

Compartilhar

twitter email

27

abr

Não cumprir normas para proteção de estabelecimento financeiro gera multa.

Bancos públicos e privados são multados por deficiência na segurança.

Agência Estado

Baseado na Lei 7.102/1983, que estabelece normas para proteção dos estabelecimentos financeiros, seis bancos públicos e privados pagarão multas de R$ 800 mil por falhas na segurança bancária. A decisão foi da Comissão Consultiva para Assuntos de Segurança Privada (Ccasp) do Ministério da Justiça.

De acordo com a fiscalização foi constatado número insuficiente de vigilantes, alarmes inoperantes, planos de segurança não renovados e utilização de bancários no transporte de valores, entre outros descumprimentos da normal legal. Para Ademir Wiederkehr, representante da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf) no colegiado, as irregularidades indicam risco para trabalhadores e clientes.

Os três maiores bancos privados receberam as multas mais altas: Bradesco (R$ 318,1 mil), Itaú Unibanco (R$ 160,5 mil) e Santander (R$ 156,4 mil). Foram multados também o Banco do Brasil (R$ 120,6 mil), Mercantil do Brasil (R$ 42,5 mil) e Banco do Nordeste (R$ 10,6 mil). A campeã de multas foi uma agência do Bradesco em Rio Branco, no Acre, arrolada em nove processos e multada em R$ 127,6 mil.

Conforme dados do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) apresentados pela Contraf, os cinco maiores bancos do país lucraram R$ 50,7 bilhões no ano passado e investiram apenas R$ 2,6 bilhões (5,2% do lucro) em segurança e vigilância. Isso mostra, para Ademir Wiederkehr, que os bancos gastam pouco com segurança e expõem ao risco a vida de funcionários e clientes.

Mas esses números são contestados pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban). A Febraban garante ainda que os bancos cumprem as determinações da Lei 7.102/83, de acordo com planos de segurança previamente submetidos à Polícia Federal. Observa, contudo, que “as falhas apontadas são pontuais, em boa parte de natureza meramente administrativa, sem espelhar uma redução dos padrões e procedimentos de segurança seguidos pelas instituições financeiras”.

A Ccasp é composta por representantes do governo, dos trabalhadores e dos empresários. Segundo Ademir Wiederkehr, que participou da reunião da última quarta-feira (18/4), as multas comprovam que os bancos continuam tratando com descaso a segurança das agências. Com informações da Agência Brasil .

postado por:

Compartilhar

twitter email

25

abr

Planejamento Estratégico em Segurança Empresarial

24

abr

Campanha Antidrogas – Palestra no Sesvesp

23

abr

20

abr

Proteja-se : Em caixas eletrônicos

  Como se prevenir

 

Procure ir ao caixa eletrônico acompanhado e leve somente o cartão que vai utilizar.

Antes de iniciar a transação, verifique na tela se o equipamento está ativo ou inoperante. Caso esteja inoperante, não insira seu cartão.

Se o caixa eletrônico ou o equipamento do banco no comércio estiver inoperante, não aceite a oferta de estranhos de passar seu cartão em terminal avulso, mesmo que eles se apresentem como funcionários do banco. Fraudadores têm utilizado esse golpe para “clonar” (copiar os dados) cartões e obter senhas.

Ao digitar sua senha, mantenha o corpo próximo à máquina, para evitar que outros possam vê-la ou descobri-la pelo movimento de seus dedos no teclado. As pessoas atrás de você devem respeitar as faixas de segurança.

Fora dos horários comerciais, prefira utilizar os caixas automáticos instalados em locais de grande movimentação e, se possível, em ambientes internos (shoppings, lojas de conveniência, postos de gasolina etc.).

Sempre que possível, faça seus saques no horário comercial, quando o movimento de pessoas é maior, evitando o período noturno. Quando precisar realmente sacar dinheiro à noite, leve um ou mais acompanhantes adultos para que fiquem fora da cabine, como se estivessem na fila.

Nunca aceite ou solicite ajuda de estranhos, mesmo que não lhe pareçam suspeitos.

Esteja atento à presença de pessoas suspeitas ou curiosas no interior da cabine ou nas proximidades. Na dúvida, não faça a operação.

Caso não consiga concluir uma operação, aperte a tecla ANULA ou CANCELA.

Em caso de retenção do cartão no caixa automático, aperte a tecla ANULA ou CANCELA e comunique-se imediatamente com o banco. Tente utilizar o telefone da cabine para comunicar o fato. Fique atento, pois, se ele não estiver funcionando, pode tratar-se de tentativa de golpe. Nesse caso, não aceite ajuda de desconhecidos, mesmo que afirmem trabalhar no banco. Também não digite a senha de seu cartão na máquina.

Cuidado ao utilizar telefones desconhecidos, especialmente os celulares, para comunicar-se com o banco, pois os dados de sua conta e senha ficam registrados na memória do aparelho. Além disso, a pessoa do outro lado da linha pode não ser funcionária do banco.

Não se preste a receber créditos de pessoas desconhecidas em sua conta. Propostas desse tipo são feitas por golpistas, nas proximidades de caixas automáticos e de agências.

Desconfie de vantagens financeiras ou dramas familiares relatados por desconhecidos na fila do caixa automático, especialmente de propostas de utilização de sua conta para transferência de valores.

Caso precise estacionar o carro na rua e caminhar até o caixa eletrônico, nunca deixe outra pessoa sozinha no veículo.

Fique atento e somente pare o carro depois de averiguar se ao redor do caixa não há ninguém suspeito.

Se alguém estiver tirando dinheiro, quando você chegar, espere a pessoa sair e ir embora, antes de desligar o carro.

Exija que as pessoas atrás de você, na fila, observem os limites das faixas que garantem a privacidade do uso dos caixas eletrônicos. Fique alerta à aproximação de estranhos. Não admita a ação de intrusos ou curiosos enquanto estiver operando o sistema, e instrua seus familiares e amigos a fazer o mesmo. Os criminosos visam, preferencialmente, pessoas mais idosas ou aquelas que apresentam dificuldades em lidar com equipamentos eletrônicos.

Tome especial cuidado com esbarrões, aparentemente acidentais, que o façam temporariamente perder de vista seu cartão magnético. Não saia do caixa antes de se certificar de que o cartão que lhe foi devolvido é realmente o seu.

Ao sair do caixa, olhe bem para todos os lados, e verifique se ninguém o segue.

Se você verificar algo estranho, cancele a transação, guarde seu cartão e deixe o local imediatamente. Vá para um local seguro e chame a polícia, caso suspeite de alguma atividade criminosa.

Não perca tempo. Quando completar a transação, guarde seu cartão e seu dinheiro imediatamente. Confira o dinheiro quando estiver num local seguro.

Desconfie de pessoas que organizam filas ou oferecem ajuda, principalmente aos sábados, domingos e feriados. Essas pessoas fazem-se passar por funcionários, inclusive com crachás.

Fonte: serasaexperian

 

postado por:

Compartilhar

twitter email

19

abr

18

abr

Os Chefes e os Líderes

Os chefes empurram… Os líderes puxam

Os chefes comandam…. Os líderes comunicam

Os chefes são mestres… Os líderes são maestros

Os chefes são donos da voz mais alta …. Os líderes dos ouvidos mais apurados

Os chefes administram…. O líder inova

O chefe é uma cópia… O líder é um original

O chefe mantém… O líder desenvolve

O chefe focaliza os sistemas e a estrutura… O líder inspira confiança

O chefe pergunta como e quando… O líder pergunta o que e por que?

O chefe convive melhor no status-quo… O líder desafia, muda

O chefe é um bom soldado… O líder é ele mesmo

O chefe faz a coisa corretamente… O líder faz a coisa certa

O chefe obtém resultados através – ou apesar – das pessoas… O líder desenvolve pessoas e grupos

O chefe quer segurança e estabilidade… O líder quer desafios

O chefe busca status… O líder privilegia qualidade de vida

O chefe é obediente… Os líderes contestadores

Os chefes são fazedores… Os líderes criativos

O chefe veste a camisa da empresa… Os líderes participam dos negócios da empresa.

A genialidade dos líderes não esta em obter conquistas pessoais, mas me libertar o talento de outras pessoas.

(Autor Desconhecido).

Postado por Mirian Bazote

postado por:

Compartilhar

twitter email

17

abr

Noticias: Empresa brasileira lança arma de choque

Empresa brasileira lança arma de choque em meio à polêmica de mortes

 

Foto: Raphael Gomide

A Spark usa 40% menos energia que as concorrentes, diz Condor

Menos de um mês depois de dois brasileiros (Roberto Laudisio, na Austrália, e Carlos Meldola, em Santa Catarina) terem morrido após receberem disparos de armas de choque, a brasileira Condor, de tecnologias, lança a Spark (faísca, em tradução livre), sua pistola elétrica, a primeira nacional, na feira de segurança LAAD, no Rio.

A Condor alega que o seu “dispositivo elétrico incapacitante” é mais seguro que os outros quatro concorrentes mundiais – a “Taser”, pioneira, mais uma americana, uma chinesa e outra russa – porque usa 40% menos energia, interrompe o choque após cinco segundos do disparo, tem trava e memória dos últimos mil disparos. O projeto foi desenvolvido conjuntamente com a Faperj e o Cefet (Centro Federal de Educação Celso Suckow da Fonseca).

Uma pesquisa da Anistia Internacional apontou terem ocorrido 351 mortes de pessoas que receberam disparos de Taser nos Estados Unidos, entre junho de 2001 e agosto de 2008; o blog Electronic Village relatou mais 96 casos entre janeiro de 2009 e setembro de 2010. É uma média de cerca de cinco mortes por mês.

Questionado pelo iG sobre o timing do lançamento, logo após duas mortes de brasileiros com repercussão na imprensa, o diretor de marketing da Condor, Massilon Miranda, disse que o momento é “ótimo”.

Roberto Laudisio (D), morto por policiais em Sydney, Austrália, com arma de choque

“Chegamos a nos perguntar se o momento era apropriado. A tecnologia que trazemos ao mercado, com 40% da energia usada pela concorrente e corte de energia após 5 segundos torna a Spark muito segura”, afirmou Massilon. “Mas não é para ser usada em qualquer situação, está no mesmo nível da munição de borracha: é o último degrau da não-letalidade, seguindo o uso progressivo da força”, admite.

Quando se dispara a pistola, dois dardos atingem o alvo a até 8 metros de distância e continuam ligados à arma por fios metálicos: a partir de então, fecha-se o circuito de energia, conduzida pelos fios. “A pessoa perde o controle da musculatura. O cérebro controla os músculos por pulsos, e a arma confunde esse sistema de comunicação, o que faz com que a pessoa atingida caia”, explica o diretor.

Perguntado pelo iG se, diante dos episódios recentes, armas elétricas devem ser consideradas “não-letais” ou “menos letais” – como muitos especialistas já chamam –, Massilon respondeu que “não há nada 100% não-letal”.

“É verdade, não há nada 100% não-letal. Até um balde d’água pode matar. Para nós, o mais importante é passar o conceito, o objetivo de que o objetivo quando se usa a arma não é matar”, disse. “Mas se usado incorretamente pode matar”, reconhece.

 

Foto: Raphael Gomide

Empresa brasileira afirma que sua arma é mais segura. Dardos atingem o alvo e fio metálico transmite o choque

Segundo a Condor, uma vantagem da nova arma é a memória dos últimos mil disparos, com informações sobre data, hora em que o gatilho foi acionado, número de disparos seguidos por quantos segundos permaneceu disparando . “Se, por acaso houver tortura, é possível identificar, pelo número de disparos seguidos, que seriam desnecessários em uma situação normal”, disse Massilon.

Outra medida de segurança adotada pela empresa foi instalar uma luz azul nos lados da pistola que avisa que a arma está ativa. Assim, supostamente outros agentes equipados com a arma poderiam evitar seu uso tendo em vista que um disparo seria capaz de incapacitar uma pessoa de reagir. As múltiplas descargas elétricas sobre uma pessoa podem causar sua morte.

Cada unidade custa hoje em torno de R$ 2.100 e cada munição sai a R$ 100. Atualmente fábrica da Condor tem capacidade para produzir 30 mil unidades da Spark por ano. Segundo o diretor de marketing da empresa, Massilon Miranda, quatro forças de segurança nacionais já fecharam a compra do aparelho, e a primeira entrega será em maio.

Embora a arma seja de plástico, o preço se assemelha ao de uma pistola real. “Mas quanto vale uma vida?”, rebate, com a resposta pronta.

 Fonte: Portal IG

postado por:

Compartilhar

twitter email
Página 20 de 22« Primeira...10...1819202122